Nota sobre felicidade

13:22

Eu nunca havia tido aula de Filosofia. Nem sabia do que se tratava a matéria, e também nem conseguia imaginar sobre o que o professor ia falar. E certa aula ele perguntou à turma: O que é felicidade pra vocês?
 Ninguém foi capaz de responder. Ele reafirmou a pergunta, "Ninguém consegue responder?", e de fato ninguém conseguiu. Muitos disseram "Ah, eu consigo pensar em coisas que me deixam feliz, mas não consigo definir o que é felicidade". E concordei plenamente com os que disseram isso, parecia impossível dizer algo concreto e estruturado sobre felicidade.
Outro aspecto: aquela velha frase do "ninguém é feliz sozinho". Acho que boa parte das pessoas depositam grande fé nela, fato que também me convenceu disso foi a extrema dificuldade de  encontrar uma foto de alguém aparentemente feliz que não estivesse acompanhado. Mas ocorre uma coisa: quem não se encontra feliz sozinho, jamais encontrará a felicidade ao outro. É o clichê, é o que todo mundo diz, mas é a verdade. Nem sempre quem diz isso é a pessoa mais feliz com si mesmo, mas é quem mais sabe a respeito da felicidade; não foque no quem disse, mas sim no o que disse, pois se você já ouviu isso de alguém um dia, essa pessoa está coberta de razão.

*****
Mas vou contar como aconteceu comigo: houve um momento em que eu me vi de fato sozinha: havia perdido um ente muito próximo, minha melhor amiga e a pessoa que eu amava; isso afetou diretamente as pessoas que conviviam comigo e toda a minha vida. Minha rotina mudou radicalmente, eu fiquei sem tempo para fazer o que costumava gostar e tive que deixar de lado algumas coisas. Eu não podia pensar nas pessoas que tinham ido embora, elas não iam voltar. Então decidi pensar em quem tinha ficado: eu.
Em todos as viradas de ano eu e meus amigos compartilhávamos o mesmo pensamento: "nossa, que ano ruim!", mas quando parei pra pensar realmente sobre toda minha vida, eu vi que em todos os meus anos eu tive sorte: perdi muitas pessoas ao longo do caminho, mas todas as passagens haviam sido maravilhosas; eu sempre estudei numa escola legal com as pessoas que eu gostava; sempre tinha o desempenho que eu queria na escola e sempre tive bons professores; eu nunca quis muito, então sempre tive tudo que queria; moro numa cidade tranquila, em que posso sair com meus amigos e voltar tarde sem perigo; vivo em uma cidade que tem eventos todo fim de semana caso eu quisesse me distrair, e tenho amigos que sempre me acompanharam; tenho uma família maravilhosa, e, principalmente, pais incríveis. E, por último: "eu não sou a pessoa mais bonita do mundo, mas o que é que há de errado comigo mesma?". A resposta? Errado era só a minha maneira de ver as coisas.
Nada é perfeito. Mas tudo pode ser se eu quiser. Eu posso ser perfeita, as pessoas podem, o lugar onde eu vivo pode, o mundo pode, e a minha vida pode ser perfeita. Isso não é ego, é ser feliz. É saber ser feliz com o que se tem, que é a mais plena forma de felicidade. 
Faz tempo que a frase "estou bem" é pouco para expressar minha tranquilidade e paz de espírito. E não é que você deva mostrar para o mundo que você é feliz com o que tem; você deve mostrar a você que você sabe se deixar feliz. Vale a pena, e funciona mesmo.
Nunca tinha terminado um ano agradecendo a Deus por ele.
Mas a virada de 2015 para 2016 foi diferente. Eu não tinha nem palavras para agradecer tanta coisa boa.
 E a melhor coisa que aconteceu no ano para mim não foi nada e nem ninguém, foi eu mesma, e isso vale muito.
***
Então hoje eu sei responder à pergunta de Filosofia: felicidade para mim é o amor: amando que eu sou, o que eu faço, as pessoas que me rodeiam; amando onde eu vivo, amando a Deus. Resumindo: amando a minha vida.


Conteúdo formulado pelo autor. Fonte da imagem: We Heart It.

Você também pode gostar de:

0 comentários

VISITE NOSSO PERFIL NO WE HEART IT

Dê uma olhada em nosso Twiiter: